Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

da Cozinha da Sofia

Um blog de doces, memórias e colheradas de sabor. Para adoçar a boca e a vida!

da Cozinha da Sofia

Um blog de doces, memórias e colheradas de sabor. Para adoçar a boca e a vida!

01
Jun22

Arco-Iris de Gelatinas

da Cozinha da Sofia

Neste dia 1 de Junho, dia da criança, nada como uma sobremesa alegre, divertida e muito simples de preparar. Requer apenas alguma paciencia para esperar entre camadas! Mas o resultado final compensa e fica super fresquinha e deliciosa.

O que é preciso?

- gelatinas de cores diferentes (usei Condi Light nos sabores mirtilo, ananás, morango e pessego)

- leite condensado ou queijo quark q.b.

- fruta q.b. a gosto para decorar

Como fazer?

1. Preparar uma gelatina conforme instruções do fabricante, colocar na forma e deixar solidificar.

2. Preparar outra gelatina do mesmo sabor da anterior, conforme instruções do fabricante, deixar ficar quase fria e misturar muito bem o leite condensado (ou queijo quark) a gosto. Pretende-se obter a camada opaca. Verter com cuidado sobre a anterior gelatina que já deve estar bem sólida.

3. Repetir o processo para as restantes gelatinas procurando combinar as cores de forma contrastante.

4. Para desenformar, passar a forma rapidamente por água a ferver, dispor num prato e decorar com frutas. No meu caso, para acabar alguns restinhos de gelatina fui colocando em couvetes de gelo com formatos.

🥰🥰 Feliz dia da criança 🥰 🥰

FB_IMG_1654073763932.jpg

08
Mar21

Crepes em calda de Licor Beirão

da Cozinha da Sofia

Uma receita simples, rápida mas cheia de personalidade. Uns crepes singelos mas cuja calda de Licor Beirão lhes empresta um carisma incrível.

Para testar hoje, dia da mulher - diz o calendário - ou em qualquer outro dia que nos apeteça. Porque mulher é-se todos os dias. Em cada momento que demonstramos força destemida, elegancia, saber, poder, querer. Querer sempre justiça, equidade, igualdade. Porque sim, nos dias de hoje ainda há - e muita - repressão, violência encoberta, medo, desigualdade salarial, assédio, distinção de uma força sexista que prima pela pequenez da alma de quem a imprime. Tudo se resume a uma simples e poderosa palavra: respeito.

Brindemos a um dia que são todos. A um sorriso franco nuns lábios bem vermelhos, uma gargalhada sincera sem medos de um ser único, com uma essência especial. Uma força da natureza: a mulher. Aquela que somos, a que construímos diariamente, a que ambicionamos. 

FB_IMG_1615164235593.jpgO que é preciso?

Para os crepes:

- 125g de farinha sem fermento
- 2 ovos
- Sal q.b.
- 300 ml de leite

Para a calda:
- 25g de manteiga
- 1 casca de laranja
- 1 casca de limão
- 150g de açucar
- 1dl. de sumo de laranja
- 15 cl. de Licor Beirão

Como fazer os crepes?

1. Coloque todos os ingredientes no copo da varinha mágica e bata.

2. Aqueça uma frigideira, unte-a ligeiramente com margarina, coloque cerca de 2 colheres de sopa da mistura na frigideira, fazendo-a girar para cobrir completamente o fundo com uma camada fina. Deixe cozer, solte o crepe do fundo e vire-o com a ajuda de uma espátula. Deixe alourar, retire e vá empilhando os crepes. 

Como fazer a calda?
1. Leve ao lume a manteiga numa caçarola, junte-lhe a casca de laranja e do limão e, quando começar a alourar, adicione o açúcar e mexa.

2. Adicione o sumo de laranja e, com cuidado, o Licor Beirão. Deixe apurar. Envolva então as folhas de crepe uma de cada vez.

3. Degustar calmamente :)

Nota: esta receita foi retirada (e adoptada!) há bastantes anos de um pequeno folheto do Licor Beirão.

06
Jan21

Galette de Rois

da Cozinha da Sofia

Por motivos de força maior não me foi possivel fazer os posts que tinha preparado para a época festiva. Apesar disso irei, gradualmente, publicá-los na mesma. As receitas são como as vontades e apetites e, no fundo, como o Natal: fazemos e adaptamos quando queremos :)

Ainda vou a tempo de vos desejar um bom ano, pleno de realizações e alcance de objectivos. Com a esperança de que possamos voltar a ver o sorriso uns dos outros, colmatar a saudade com um abraço, beber um simples café sem medos. Viver.

Esta Galette de Rois foi feita há exactamente um ano atrás. É da Filipa Gomes, de quem sou fã incondicional. Tem carisma, personalidade, marca pela diferença. Descomplica, ensina, faz tudo de bom de forma simples, prática e sempre descontraída. Adoro a forma como desconstrói técnicas culinárias adaptando-as à realidade de uma cozinha comum.

Do que precisamos?

- 2 bases de massa folhada redondas + água qb + 1gema para pincelar

- 25g amido de milho

- 25g de açúcar

- 2 gemas

- 125ml leite

- 1c.chá de extracto de baunilha

- 125g farinha de amêndoa

- 2 ovos

- 100g de açúcar

- 100g de manteiga

- 1 c.sopa de conhaque (usei rum)

1.jpg2.jpg3.jpgComo fazer?

1. Misturar muito bem o amido com os 25g açúcar e as 2 gemas. Aos poucos, ir juntando o leite e a baunilha. Levar ao lume até engrossar, mexendo sempre com a vara de arames.

2. Reduzir as amendoas a farinha e depois juntar os 2 ovos. Adicionar o s 100g de açúcar, o rum e a manteiga já amolecida.

3. Após o creme de pasteleiro arrefecer, envolver no creme de amendoas. Levar ao frio uns 30m para ganhar firmeza.

4. Colocar uma massa folhada numa tarteira (26cm) de fundo amovível, rechear com o creme deixando uma margem em volta. Nessa margem, pincelar com água, sobrepor a outra massa e pressionar em volta para colar bem. Com palito, faca ou garfo decorar o topo, pincelar com a gema e fazer um furo no centro para sair o ar.

5. Levar a forno pré-aquecido a 180°C por 45m ou até dourar.

6. Saborear!

Livro Cozinha com Twist, pág. 236.

15
Dez20

Carolo de Milho

da Cozinha da Sofia

Cresci a comer carolos de milho, papas de carolo, sobremesa, doce de milho, como lhe queiram chamar. Sempre que o moinho se ligava com aquele ruído ensurdecedor já sabia: daquelas mós vai sair coisa boa! E de facto, depois de peneirada a farinha, lá estavam eles.

Mas o que é o carolo de milho afinal? Procede-se à moagem incompleta do grão, resultando numa textura grosseira e bastante granulada, desta forma preserva-se o máximo de fibra e nutrientes.

Por cá nunca consegui encontrar os verdadeiros, de maior textura, apenas a "versão citadina": sêmola de milho. De textura muito mais fininha e... de milho amarelo. Nós apenas tínhamos do branco, mas como quem não tem cão caça com gato, agora já nem sei de qual gosto mais :)

Para além da versão doce, muitos eram os que faziam a salgada como acompanhamento de carnes. Era mais barato, acessível e cheio de energia para o trabalho na terra. Desses, admito, nunca provei.

Lembro-me de, algures em finais de Agosto início de Setembro, haver a desfolhada - uma festa popular de celebração da colheita do milho onde serviam os carolos doces numas taças de barro lascadas... eram tão bons!

Indo às raízes dos tempos, no momento em que o milho estava todo colhido juntavam-se as gentes da aldeia para ajudar a descascar (desfolhar!) as espigas de milho. Momentos de trabalho mas sobretudo de comunhão, entre-ajuda, cantares e partilha. Celebrados por fim com a festa da desfolhada.

Algures entre o arroz doce e o leite-creme, mas com uma personalidade e textura muito próprias, esta sobremesa tipicamente beirã é um regresso aos sabores de outros tempos onde não havia muito arroz e os campos verdejavam de milho. Hoje, é uma óptima sugestão para a tradicional mesa de natal.

Do que precisamos?

- 500 ml de água + 1 pitada de sal
- 1 casca de laranja (ou limão)
- 140g sêmola de milho
- 1 pau de canela (opcional)
- 1 l de leite meio gordo já morno
- 175g açúcar amarelo (podem ajustar, para mais, a gosto)
- canela em pó q.b.

Como fazer?

1. Levar ao lume a água, o sal, o pau de canela e a casca de laranja até ferver.

2. Juntar a sêmola e deixar cozer, mexendo sempre, até que a água seja completamente absorvida. Para evitar grupos é aconselhavel o uso de uma vara de arames.

3. Juntar gradualmente o leite morno, mexendo sempre.

4. Juntar o açúcar e deixar cozer sensivelmente 10 a 15 minutos, sem parar de mexer, até que atinja uma textura cremosa - semelhante à do amido de milho (depois de frio fica ainda mais consistente). 

5. Retirar do lume, descartar o pau de canela e a casca de laranja. Distribuir por taças ou travessa única. Deixar arrefecer... ou não! :)

6. Depois de frio, decorar com canela em pó.

20201215_181358.jpg"E que Deus te ponha a pele antes da minha mãe voltar da missa." - Dito popular devido à finíssima película que o doce vai ganhando à medida que vai arrefecendo  e que denuncia que o come :)

Colocar topping é completamente opcional, mas há quem descarte a canela (sorry pela minha falta de jeito nos desenhos!) e opte por frutos secos ou granola, caramelo salgado, coulis, fruta fresca... enfim onde a imaginação e gosto levarem!

Nota: o uso da casca de laranja (sem a parte branca!) confere mais doçura que a do limão que dá mais frescura, mas é tudo uma questão de gosto pessoal!

09
Nov20

Queijada de Mascarpone

da Cozinha da Sofia

Assim que descobri a receita desta queijada (ou tarte se preferirem!) no pecadomoraemcasa.pt guardei directo. Por vezes há uma embalagem de mascapone perdida no frigorifico. Era para o tiramissú que não chegou a ser :) Portanto, eis uma ideia muito simples e prática de despachar o dito queijinho. Em poucos minutos temos uma sobremesa simples, hiper rápida de se fazer e, o mais importante, deliciosa. Pessoalmente, penso que fica ainda melhor fresca, acompanhada de uma bola de gelado de sabor contrastante como o café ou chocolate preto ou até mesmo uns gomos de fruta de sabor mais intenso. Fica ao critério de cada um.

Sugestões dadas, eis a receita:

Do que precisamos?

- 250g de mascarpone

- 150g de açúcar

- 3 ovos

- 50g de manteiga derretida

- 100g de farinha com fermento

- 100ml de natas

- 1 c.sobremesa de essência de baunilha

Para polvilhar: açúcar em pó e canela qb

Como fazer?

1. Untar e forrar uma tarteira de 23cm (preferencialmente de fundo amovível) com papel vegetal.

2. Com a vara de arames bater bem os ovos, o mascarpone (atenção aos possíveis grumos), a manteiga derretida, as natas e o açúcar.

3. Juntar a farinha e a baunilha.

4. Levar ao forno pré-aquecido a 180ºC durante 25 a 30 minutos.

5. Retirar do forno e desenformar apenas quando estiver morna. Vai abater um pouco e não queremos que perca a forma.

6. Polvilhar com o açúcar e a canela.

7. Degustar!

20201109_120500.jpg

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Sigam-me no instagram

Entregas em Almada e Seixal, outras zonas sob consulta.

Preços, informações, sugestões, pedidos... contacte!

Mensagens

Posts destacados

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub